Betinho: um legado que apontou um horizonte de esperança e superação da fome para o Brasil

Se estivesse vivo, o sociólogo Herbert de Souza, popularmente conhecido como Betinho, completaria 82 anos no próximo dia 13 de novembro. O sociólogo, nascido em Bocaiúva (MG), é lembrado pelo projeto por meio do qual se imortalizou a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, movimento em favor dos pobres e excluídos, do qual a CNBB foi uma grande parceira. Ele é autor da célebre frase: “quem tem fome, tem pressa”.

Segundo dom Mauro Morelli, bispo emérito em Duque de Caxias (RJ), que por muito tempo conviveu proximamente com o sociólogo, o que mais o impressionava na figura do Betinho era fato de ele, ameaçado pela morte – por ser portador do vírus hiv, contraído em função de uma transfusão de sangue por ser hemofílico – ser profundamente comprometido com a vida.

A marca do Betinho, segundo dom Mauro, que presidiu o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional no governo Itamar Franco, foi o profundo empenho pela vida. “Nada destrói mais a vida do que a desnutrição. Do que ver o desenvolvimento de uma criança comprometido pela falta de segurança alimentar”, disse.

Logomarca da ação que imortalizou Betinho e que tem o título, segundo dom Mauro , cunhado por dom Luciano Mendes de Almeida

Fundada a partir do Movimento pela Ética na Política, em 1993, a Ação da Cidadania conseguiu grande êxito na mobilização de todos os segmentos da sociedade brasileira na busca de soluções para as questões da fome e da miséria.

Esta ação foi criada, como lembra dom Mauro, frente à constatação contraditória de o Brasil ser a 8ª economia do mundo e possuir 32 milhões de pessoas na miséria. Desde 1993, a Ação da Cidadania trabalha para estimular a participação cidadã na construção e melhoria das políticas públicas sociais.

O movimento atua através de comitês locais: cidadãos solidários que se mobilizam para por toda a nação. Todos os estados brasileiros têm comitês regionais da Ação da Cidadania e promovem ações conjuntas integradas pela coordenação nacional, com sede no Rio de Janeiro.

Ele também foi responsável, em 1981, pela criação do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (Ibase), uma organização de cidadania ativa. O Ibase faz parte da história da internet brasileira por ter criado o Alternex, o primeiro provedor de acesso à internet no Brasil. Também organizou a Campanha da Fome, que se tornaria uma organização independente, a Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida.

Sua luta inspirou a construção da Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional e de Programas como o Fome Zero, responsáveis por tirar o Brasil do Mapa da Fome da FAO, organização das Nações Unidas que combate a fome no planeta.

Betinho Integrou a Juventude Estudantil Católica (JEC) e a Juventude Universitária Católica (JUC). Foi um dos fundadores em 1962, da AP (Ação Popular), organização que lutou contra o Regime Militar, razão pela qual foi exilado mais tarde. Atuou como coordenador da entidade nos anos de 1963 e 1964. Hemofílico, como seus irmãos dois irmãos – o cartunista Henfil e o músico Chico Mário, Betinho faleceu em decorrência da aids, no Rio de Janeiro, em 9 de agosto de 1997.

 

Fonte: http://cnbb.org.br

Paróquia Bom Jesus dos Migrantes

Leave A Response

* Denotes Required Field